quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Nietzche abre o verbo...

Aparentes Fazedores do Tempo na Política
Tal como o povo, perante quem seja entendido no tempo e o preveja com um dia de antecedência, admite tacitamente que ele faz o tempo, assim também mesmo pessoas cultas e doutas, recorrendo a uma fé supersticiosa, atribuem aos grandes estadistas todas as alterações e conjunturas importantes que se deram durante o seu governo, como se estas fossem a sua obra mais pessoal, quando é simplesmente visível que aqueles souberam alguma coisa do assunto mais cedo do que outros e fizeram o seu cálculo em conformidade: portanto, são também tomados por fazedores do tempo... e essa crença não é o mais insignificante instrumento do seu poder. 

Friedrich Nietzsche, in 'Humano, Demasiado Humano'

Um comentário:

Shaka Kama-Hari disse...

Legal... Ele fala algo parecido em "O julgamento"... Muito bom...