sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Quer pagar quanto?


O Preço da Riqueza
Não invejemos a certa espécie de gente as suas grandes riquezas: eles as têm à custa de um ónus que não nos daria bom cómodo. Estragaram o seu repouso, a sua saúde, a sua felicidade e a sua consciência, para as conseguir: isso é caro demais, e não há nada a ganhar por esse preço.
Quando se é novo, muitas vezes é-se pobre: ou ainda não se fez aquisições, ou as heranças ainda não vieram. A gente torna-se rico e velho ao mesmo tempo; tão raro é poderem os homens reunir todas as vantagens!
E se isso acontece a alguns, não há que invejá-los: eles têm a perder com a morte o bastante para serem lamentados. É preciso trinta anos para pensar na fortuna; aos cinquenta está feita; contrói-se na velhice e morre-se quando ainda se está às voltas com pintores e vidraceiros. Qual o fruto de uma grande fortuna, se não gozar a vaidade, indústria, trabalho e esforço dos que vieram antes de nós, e trabalharmos nós mesmos, plantando, construindo, adquirindo, para a posteridade?
Em todas as condições, o pobre está mais próximo do homem de bem, e o opulento não está longe da ladroeira. A capacidade e a habilidade não levam a grandes riquezas.

Jean de La Bruyére, in 'Os Caracteres'

9 comentários:

Antonoly disse...

A riqueza não tem preço!!!

Claudemir disse...

Nossa gostei muito desse texto e concordo plenamente com ele. Podemos reparar em nossa volta, muitas pessoas bem sucedidas, porém não tem qualidade de vida, tranquilidade, vivem sempre preocupados e estressados , enfim só vivem pra o trabalho.
E acontece que muitas vezes morrem sem ter aproveitado o que a vida tem de melhor.

Veiga disse...

isso mesmo... o rico quer cada vez mais $$$, isso leva a fazer coisa errada.

abraço

Petite Femme disse...

devo discordar do Bruyére na parte de que "o pobre está mais próximo do homem de bem". sou do tipo de pessoa que ainda acredita que caráter independe de condição social, cor da pele e opção religiosa. aliás, essa afirmação é influência de diversas doutrinas cristãs da época ("é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha que um rico entrar no reino dos céus").
vou vivendo com meus trocados.

bjs

KathY CatherYne disse...

Antes de mais nada é preciso ter sorte.,., Aí o resto é mais fácil, inclusive o dinheiro (e poder aproveitar dele tbm).

Não gostaria de me matar de trabalhar para só lá pelos 40 anos poder curtir a vida.,.,

Nem todo rico é mesquinho, e nem todo pobre é "gente boa".,., Do que adianta um pobre, que se esforça todo dia para sobreviver, ganhar na loteria e aí se esquecer de suas origens? Se esquecer o qnto ele sofreu e n ajudar àqueles que necessitam??? Riqueza tem preço, seja o talento para conseguir se dar bem no trabalho, seja a fortuna de um tio de 2º grau, seja a própria sorte.,., O que, na minha opinião, não tem preço, é ter a riqueza material e poder gozá-la com seus outros tesouros: seus amigos (de verdade!!!) e sua família (com exceção dos parentes invejosos!!)

KthY?

KathY CatherYne disse...

Idem coment de petite femme

KthY?

KathY CatherYne disse...

Lembro-me de ter visto na tv o caso de um economista,.,., Ele trabalha 10 horas por SEMANA, e, graças ao seu conhecimento, vive beeem tranquilo: vai aos eventos sociais e culturais que ele quer, a todas as peças de teatro, a todos os shows & concertos, a todas as exposições, museus, etc etc etc.,., Só com 10 horas por semana!!!!!

Desejo poder trabalhar "muito" como ele e poder ir a todos os lugares e eventos que eu desejar, ter mais tempo p mim.,.,

KthY?

Diogo disse...

Vivendo numa "matrix", uma pessoa acumula um valor, um valor "virtual" pois isso que o dinheiro é, apenas um valor para se trocar pelos beneficios, e o q é feito? a pessoa nao usa esse valor, para sua propria qualidade de vida e tao pouco pra melhorar a do outro.

ARI LOPES disse...

Belo Blog, parabéns

Conheça meus Blogs

hhttp://blogdoprofessorari.blogspot.com/ttp://saudecompleta.blogspot.com/